FED/ATA: DIRIGENTES CITARAM "INCERTEZA CONSIDERÁVEL" SOBRE IMPACTO DE GOVERNO TRUMP NA ECONOMIA

04/01/2017 17:57:34 - AE NEWS

FED/ATA: DIRIGENTES CITARAM "INCERTEZA CONSIDERÁVEL" SOBRE IMPACTO DE GOVERNO TRUMP NA ECONOMIA
 
Fonte: Agência Estado/Broadcast
 

Washington, 04/01/2017 - A ata da reunião de política monetária do Federal Reserve (Fed, o banco central dos EUA)de dezembro mostrou que os dirigentes citaram uma "incerteza considerável" sobre os efeitos que o próximo governo dos Estados Unidos, sob o comando do presidente eleito Donald Trump, pode ter sobre a economia.

De acordo com o documento da reunião dos dias 13 e 14 de dezembro, que decidiu por um aumento de 0,25 ponto porcentual nos fed funds - para a faixa entre 0,50% e 0,75% - e previu outras três elevações este ano, quase todos os dirigentes indicaram que as perspectivas para o estímulo fiscal, como o aumento dos gastos com infraestrutura ou o corte nos impostos, podem impulsionar a economia nos próximos anos. Os dirigentes enfatizaram que o momento, o tamanho e a composição das propostas de Trump são incertas e não há como prever como as taxas de juros serão ajustadas.

Os dirigentes também concordaram que "é muito cedo para saber quais mudanças nessas políticas serão implementadas e como essas mudanças podem alterar as perspectivas econômicas", de acordo com a ata. Além disso, cerca de metade dos dirigentes do Fed previram uma política fiscal mais expansionista.

Muitos dirigentes também demonstraram preocupação que as incertezas "tornaram mais desafiador comunicar o público sobre a provável trajetória dos fed funds".

Dependendo das mudanças em relação os impostos, gastos e políticas regulatórias que os políticos tomarem, muitos dirigentes afirmaram que o crescimento econômico pode ser mais rápido ou mais lento do que anteciparam em dezembro. Além disso, muitos também enfatizaram a importância de monitorar riscos para a previsão, incluindo a possibilidade de um fortalecimento maior do dólar, a instabilidade financeira no exterior e o fato de que as taxas de juros ainda estão perto de zero.

Alguns dirigentes alertaram que a possibilidade de um crescimento econômico mais forte e uma elevação maior nos preços do petróleo, pode levar a uma alta na inflação. Entretanto, vários outros dirigentes citaram que um dólar mais forte pode continuar a segurar a inflação.

A maioria dos dirigentes atribuiu as "mudanças substanciais" nas condições financeiras entre as reuniões de política monetária de novembro e dezembro às expectativas dos investidores sobre estímulo fiscal. Entretanto, muitos dirigentes "expressaram a necessidade de cautela" ao avaliar as implicações dos desenvolvimentos do mercado para a perspectiva econômica em meio as incertezas sobre como as políticas irão se desenvolver, e como a economia global e as condições financeiras também.

No documento, os dirigentes também alertaram sobre a possibilidade de que a taxa de desemprego possa cair abaixo da taxa que previram no longo prazo, o que pode fazer com que eles elevem os juros de maneira mais rápida do que esperavam "para conter um potencial acúmulo de pressão inflacionária". Fonte: Dow Jones Newswires.




Endereço:
Viaduto Nove de Julho - 1º andar
Bela Vista - CEP: 01050-060
São Paulo - SP
Telefone: (5511) 3291-8735