02/08/2017 07:46: GOVERNO ABRE MÃO DE R$ 5,4 BI EM PARCELAMENTO DE DÍVIDAS DO FUNRURAL

02/08/2017 07:46:06 - AE NEWS

ESTADÃO: GOVERNO ABRE MÃO DE R$ 5,4 BI EM PARCELAMENTO DE DÍVIDAS DO FUNRURAL
 

Brasília, 01/08/2017 - Na véspera da votação da denúncia contra o presidente Michel Temer, o governo editou ontem uma Medida Provisória com o novo Refis para o parcelamento de dívidas dos produtores rurais com o Fundo de Assistência ao Trabalhador Rural (Funrural). Além de descontos na dívida, o governo aceitou reduzir de 2% para 1,2% a alíquota da contribuição.

A renúncia prevista com mais essa concessão é de R$ 5,4 bilhões entre 2018 e 2020. Em contrapartida, o governo prevê arrecadar R$ 2,139 bilhões com o Refis, estimativa mais modesta do que a esperada inicialmente. Em 2017, a previsão é de um ingresso de R$ 681,53 milhões.

A negociação em torno do Funrural se arrastava há mais de quatro meses e chegou a ser moeda de troca para aprovação da proposta de reforma da Previdência. O governo esperou o melhor momento para publicar a MP no Diário Oficial da União, mas mesmo assim o setor não ficou satisfeito. A Frente Parlamentar da Agropecuária (FPA) já avisou ontem que vai trabalhar no Congresso para flexibilizar as regras. Isso aconteceu com o Refis geral (para todas as empresas e pessoas físicas), que está em tramitação no Congresso e foi desfigurado.

Para ganhar a simpatia da bancada, que tem cerca de 100 deputados, o governo aceitou criar um Refis para regularizar o passivo que se formou após o Supremo Tribunal Federal (STF) decidir, em março, que a União pode cobrar dos empregadores rurais (pessoa física) uma contribuição para o Funrural. A medida, no entanto, só ganhou um desfecho às vésperas da votação da denúncia contra Temer, que trabalha para angariar votos necessários para barrar a possibilidade de afastamento.

A área econômica estipulou descontos de 100% nos juros e 25% nas multas para o pagamento em até 180 prestações. O valor da entrada, a ser quitado ainda este ano, é de 4% da dívida antes dos abatimentos.

A FPA entende que a medida “é um avanço”, mas aguarda mais alterações para atender às demandas do setor. O pleito do grupo é por uma entrada menor (de 1% da dívida), prazo maior (de 240 meses) e desconto maior nos valores das multas.

A expectativa da FPA é de que esses pontos sejam modificados na MP durante sua tramitação no Congresso. Não será a primeira medida que cria um Refis e que será alvo de mudanças: o programa de parcelamento previsto na MP 783 para empresas e pessoas físicas passou a prever descontos quase integrais em juros e multas depois do relatório do deputado Newton Cardoso Jr. (PMDB-MG).

Caso a FPA consiga emplacar as mudanças no Refis do Funrural, o governo terá mais uma frustração em suas receitas. O governo conta com esse dinheiro para cumprir a meta fiscal de 2017, até o momento fixada em R$ 139 bilhões.

O programa permite a liquidação dos débitos vencidos até 30 de abril. Os pedidos de parcelamento devem ser formalizados até 29 de setembro.




Endereço:
Viaduto Nove de Julho - 1º andar
Bela Vista - CEP: 01050-060
São Paulo - SP
Telefone: (5511) 3291-8735